quarta-feira, 8 de julho de 2015

eu ainda espero por uma noite mágica de Natal
a melancolia bate à porta
Deus sabe eu venho fazendo tudo direitinho tudo
miudinho, tim-tim por tim-tim,
moeda por moeda contada, inclusive controlo
o numero de respirações, um inspiração prolongada
a expiração no dobro do tempo
para ativar todos os chakras do corpo
como dizia meu professor
de yoga magro,
sedutor.

as palavras
não voltam.
Deus sabe o que faz, fala pelos meus lábios
o Diabo pelos pensamentos
sou um constructo social resultado de múltiplas interações terrenas e divinas
mas meu olhar é perdido
nenhum homem me nota.
entre mim e uma sombra,
preferem a temperatura amena.
sou um elétrico de 220 Fahrenheit.
muito no entretanto,
mais um pouco me poriam para segurar a porta contra o vento.
me transformariam em um vaso de flores para ornar
a mesa kitsch da vó.
as palavras não voltam não
fazem meia-volta
não fazem o que Deus quer
por favor segura meus lábios

eis-me aqui
estupefato.