segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Dia da Cecília




Lua Adeversa

Tenho fases, como a lua.
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E toda a melancolia
seu interminável fuso!

Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Canções do Mundo Acabado (parte II)

Não acredites em tudo
que disser a minha boca
sempre que te fale ou cante.

Quando não parece, é muito,
quando é muito, é muito pouco,
e depois nunca é bastante...

Foste o mundo sem ternura
em cujas praias morreram
meus desejos de ser tua.

A água salgada me escuta
e mistura nas areias
meu pranto e o pranto da lua...

Penso no que me dizias,
e como falavas, e como te rias...
Tua voz mora no mar.

A mim não fizeste rir
e nunca viste chorar

(Porque o tempo sempre foi
longo para me esqueceres
e curto para te amar.)

7 comentários:

Katrina disse...

Como eu amo essa mulher

A beibe disse...

Ual

D i c a disse...

ahhhhh, encantada.

Vanessa Souza Moraes disse...

Homens e mulheres de fases...

Beijo.

Bê Matos disse...

Vou super seguir o seu conselho, Marcel. :)
Pensei nisso, essa semana.

Um beijo :*

ana laura disse...

Cecilia é encantadora...queria ter um pouco dela em mim...

E.Suruba disse...

:O
Escreve bem!
te seguindo