quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Da Série do Tempo

Eu: ainda é tempo de reconstruir
Ela: ainda tem tempo pra se construir
Nós: tem tempo pra se destruir
Tem tempo
Muito tempo
Tenho passado tanto tempo sem ter tempo
De pensar no tempo que deixei
De passar
Com tua pessoa.
Eu: ainda é tempo de se fazer mostrar
Ela: tenho muito tempo
Eu: tempo pra nós dois
Ela: tempo pra depois.

Gosto de pensar no tempo que não existe mas: por estar na minha cabeça já se mostra em minha presença e já parece existir há tanto tempo que este tempo se confunde com o tempo de pensar. E assim se fazem dois tempos, o Tempo Em Que Penso e o Tempo Que Passa. Ambos são amigos e ambos parlam por aí: este Aí que efetivamente é minha cabeça e atualmente se mostra como casa pois por que não os abrigar e por que não se mostrar receptivo? (Ao tempo de nós dois).

Tempo, diz assim
Conta agora
Minutos e segundos
O Tempo diz pra mim que
Não quer pensar.
Tempo, te respeito,
Não fazes o que não quiseres, mas garanto
Que ao passares por mim,
Hás de falar:
Que o tempo que passou é
Aquele que virá.
O tempo que torna
A se acabar.

O tempo que parece não passar.

2 comentários:

Charlie B. disse...

Tempo, tempo é uma coisa estanha se você parar para pensar, se parar para achar lógica nele, talvez não encontre, independente de qualquer coisa, ele passa, ele nos muda, ele nos transforma em novas pessoas, e em momentos seguintes, parte de nós é apenas um amontoado de lembranças.

Abraços, Charlie B.

Luna disse...

tempo, mano velho.


gostei do teu blog, te vi entre os comentários do Mayer, e concordo contigo, vim pra dizer isso, rs.

Beijos.