quarta-feira, 24 de março de 2010

Do contrário

Aparentemente ao contrário de todo mundo, eu sou mais feliz hoje do que era na infância.



9 comentários:

Charlie B. disse...

Bem difere-se mesmo! A maioria, eu como um delas, acha sempre que no passado era-se feliz, e que hoje é apenas uma droga. Mas confesso-te que nessa semana estou absolutamente feliz..
Abraços,

Charlie B.

Marcelo Mayer disse...

isso ai! idiotas quem diz "ah, meus 10 anos..."

por favor, né?

Luiza de fato! disse...

Ei,
Obrigada pela visita e comentário.
Apareça mais vezes para trocarmos figuras.
Sabe que já tentei falar sobre essas felicidas, mas cheguei a conclusão que eu não consigo comparar minha felicidade de antes com a atual.
Mas eu fui e sou muito feliz.
Isso é bom. rs

Um beijo.

D i c a disse...

Não entendo porque as pessoas dizem isso, sempre.
Eu tbm sou mais feliz agora, bem mais.


;*

Luciano Viegas disse...

Acho que as pessoas relacionam infância com felicidade pela ingenuidade que se tem nessa fase, pela pureza. Por não ter a necessidade de ser importar e nem de se preocupar com as coisas. Pelo menos comigo foi assim, embora não considere minha infância como o auge de mim mesmo.

Quando se cresce é mais fácil de se ter desilusões, de não ver mais beleza nas coisas, dependendo da forma como se encara a vida.

Ficar velho pode ser simplesmente a proximidade cada vez mais iminente com a morte, como pode ser um renascimento a cada dia da mente e da alma. Não sei se sou mais feliz ou mais triste hoje em relação ao que era antes. Acho que oscilo entre essas duas visões, dependendo do humor do dia. E por isso mesmo, nem sei se já fui feliz um dia.

Legal teu blog. :)

sarah disse...

Na infância é que realmente damos sentido a nossa vida,
tudo ganhar cor, tudo se torna divertido e surreal.

Ser como criança é muito mais que um entendimento de um adulto,
é projetar sonhos. viver num sonho!

Juliana disse...

às vezes eu tenho a impressão de que ainda não descobri como de fato é a felicidade

Ana Karenina disse...

olá marcel

obrigada pela visita ao meu blog.

suscinto e breve, daria um belo twitteiro, se já não é, rs

eu também concordo com você, acho que estou mais feliz agora por conta da independência financeira e emocional e também porque o poder da liberdade das escolhas me deixa mais feliz.

Um abraço :)

Marcel Hartmann disse...

Acho que nós temos que aprender que o fato de que muitas coisas não saem do nosso jeito não quer dizer que sejamos infelizes.