domingo, 11 de abril de 2010

Lida bem com o meu lidar


A ironia da vida está no instante em que se cala
(Beatriz Bajo)

 
3:30

Eu ainda com o corpo suado levanto da cama com uma velocidade arquitetada esperando você dizer para eu ficar, nem isso, talvez só uma mão segurando meu braço além dum olhar forte. Mas isso não ocorre e eu sei que não vai ocorrer pois sei com quem lido apesar de ter uma esperança suave no fundo da alma (por enquanto talvez isso é que me salve). Coloco minha boxer e me visto com movimentos ríspidos como quem diz que não esperava nenhuma reação, nenhum impedimento mesmo: mordendo os lábios ao imaginar uma maneira digna de me despedir sem que eu lhe fira, sem que eu me fira neste nosso lidar bizarro em que eu fico à sua mercê e você me faz só por você. Eu contigo me faz lembrar daquelas crianças que amaciam os pais com conversas nem um pouco inocentes depois de ouvirem que vão apanhar. Dizendo, paiê, manhê, você viu que bonito aquele cachorro?, e assim tentam suplantar a mal-criação com uma boa-educação. Eu lhe amacio com palavras bonitas frases de efeito e poesias ao ouvido, mas tudo o que recebo em troca é ser rachado: em dois pedaços. O que mais me destrói é você exigir

ficar com um deles.

8 comentários:

Francimare Araújo disse...

Nossa Marcel, eu não tenho o que dizer. Isso foi sensacional!

Beijos!

Erica Ferro disse...

Morri.
Essas tuas palavras me cutucaram a ferida.
Morta fala, rs.

Charlie B. disse...

"Eu lhe amacio com palavras bonitas frases de efeito e poesias ao ouvido, mas tudo o que recebo em troca é ser rachado: em dois pedaços."

Tem gente que gosta da gente, mas preferi perder por medo, e a gente gosta de gente que nem ao menos nos dar valor. Amor complica!

Charlie B.

Ana Luisa Pacheco disse...

relacionamento que a gente gosta mais e se fere aos pouco, mas aproveitando os pequenos espaços, palavras bonitas.
"eu fico à sua mercê e você me faz só por você" vai para o meu word de melhores frases;
AGORA desculpa a falta de sensibilidade, mas morri com a cueca boxer!
*mordendo os lábios
achei delicia! HAHAHAAHAH

Ana Karenina disse...

olá marcel

interessante este texto que revela um lado diferente da visão que temos sobre a alma masculina, gosto de me surpreender assim e ver que as coisas nem sempre são o que parecem.

nas relações humanas experimentamos sensações diversas querendo respostas razoáveis, cobrando atitudes mais firmes, esperando doações que muitas vezes não se tem ou não se chegará.

alguns podem até pensar: se alguém sofre com a ausência de retorno ou com a resposta que não é a que mais agrada, então porque aceitar tal situação e continua?

assim como não temos respostas ideais dos outros que nos relacionamos, assim também é nossa postura frente a elas, as vezes prefirimos sentir esse prazer momentâneo do que simplesmente nem sentir nada nem a sensação de que faltou alguma coisa, alguém disse uma vez que "o vazio enche", se não encher de satisfação, enche-se de dúvidas, devaneios, prazeres, arrependimentos e bem-querer, mas ainda assim vale a pena experimentar o amargo pra saber diferenciar ele do doce, e assim vamos vivendo, esperando e sentindo... o tudo e o nada que damos e que recebemos dos outros. porque o viver é uma experiência mesclada de doçura, amargura e acidez.

é isso, um abraço

sarah disse...

Temos que ter cuidado, nos entregar a medida que nosso coração esteja interligada a razão!

pensar se vale a pena se entregar tanto, eu tenho essas duvidas constantemtente.


"O escondido"
http://encabuladas.blogspot.com

Dandara disse...

o que é mais increible é que tu me faz imaginar se é fictício ou não, porque são coisas descritas com tanto sentimento que podem acontecer assim, com mais e sem menos.

Isabela disse...

Lindo seu texto!

reflete a complexidade dos relacionamentos!