domingo, 21 de novembro de 2010

De tão perdido no mundo que não há mãos que tragam de volta para a Terra

E se sentir sozinho como se ninguém ouvisse
Ou entendesse
E afundando
Naquele mar profundo que é
Você

...

...

...



.


(Penso nas pessoas que moram sozinhas em uma cidade estranha e acabo por achar que a única fuga para elas é escrever e criar vários personagens de maneira que façam companhia na hora mais soturna da madrugada, para do frio mais perverso fugir e tentar reagir da maneira menos provável que é não chorar e chorar de solidão. E para todas essas pessoas eu agora digo que a solidão é às vezes exaltada como caminho à profundidade, ao autoconhecimento, à intelectualidade, mas que na verdade é tudo bobagem pois ela é algo que serve apenas para atestar a maior insanidade que temos dentro de cada um: e isso, isso é o que mais machuca, saber das nossas loucuras e incertezas que lutamos tanto para dominar. Porém na solidão somos nós os dominados, visto que o campo de batalha não nos favorece. Pois digo que lute, lute contra as tuas incertezas, porque da solidão é impossível fugir.

E no final estamos todos sozinhos neste mundo...)

5 comentários:

Dayane Pereira disse...

Na verdade é cada um por si mesmo, embora seja fundamental ter familia e amigos, que ajudam muitas vezes, amenizando nossa solidão.

locodeespecial disse...

Poxa, é como se tu me interpretasse

Juliana disse...

a verdade é que eu realmente me descubro melhor quando estou sozinha.

Karol Coelho disse...

Realmente. É cada um por si. No fundo, no fundo. Porque há coisas que só nós pensamos que ninguém irá saber.
E no final do dia, não importa se divide a cama com alguém, ao deitar-se seus pensamentos são só seu e de mais ninguém.
Cada um com si próprio, todos os dias.

Alan Félix disse...

os momentos mais expressivo de mim... foram morando longe de tudo que aprendi a ter próximo!