terça-feira, 23 de novembro de 2010

Maneiras

Pare de pedir que cessem o grito
É deles o direito
De extravazar a raiva
Prefiro o tapa dos amantes
Ao silêncio dos otários

Aliás, prefiro não ter horário

E correr atrás do ônibus
Com todo o pique
Sorrir para o cobrador e dizer que foi por pouco
E que sou um pouco louco

Por preferir o amor
E a ocasião
Que dão frutos-poesia
(De grande envergadura)

Frutos de muito pouca amargura.

4 comentários:

Jubi disse...

seja um atraso ou um acesso de raiva, o amor justifica tudo.

Lizzy S. disse...

Frutos-poesia com certeza são os melhores de se comer. Muito bom!
beijos.

Dica disse...

Cotidiano e amor combinam tanto, né?
Dão samba, poesia, resultam até em conversa demoradas em botequin.

Saudade daqui, bastante.

Natália Paes disse...

"o amor é a única revolução verdadeira..."